Sem medo da anestesia: o que o tutor precisa saber antes de autorizar o procedimento em seu pet!

Por Dra. Aline Vaccaro Tako*

imagem_release_394073A anestesia veterinária evoluiu muito nos últimos dez anos, equiparando-se hoje em qualidade e segurança ao procedimento de pacientes humanos. Entretanto, ainda é comum encontrarmos tutores como medo de anestesiar seus animais, muitas vezes inviabilizando procedimentos necessários para manutenção da saúde e qualidade de vida do pet.

Existem vários pontos que devem ser discutidos com o especialista antes da anestesia para ampliar ainda mais a segurança do procedimento. Vamos detalhar cada uma delas:

 Histórico do pet: o primeiro ponto importante é saber como está a saúde geral do animal que será anestesiado.  Como acontece com os humanos, todo paciente pet precisa ser avaliado antes de uma anestesia. Os exames solicitados dependem da idade, raça do animal, e ainda do tipo de cirurgia. Em geral o check-up pré-anestésico inclui exames de sangue, com o qual é possível detectar a presença de anemia, infecção bacteriana, parasitária ou viral no animal. Também é necessário realizar uma avaliação cardiológica com eletrocardiograma e/ou ecocardiograma.

 Em situações de emergência pode ser necessário que o animal seja anestesiado sem exames prévios. Se o pet tiver histórico de cardiopatia ou outro problema saúde o tutor deve informar ao atendimento de emergência.

 Estrutura de atendimento: os tutores também devem questionar ao especialista sobre a infraestrutura do monitoramento do animal durante a anestesia. Hoje contamos com equipamentos sofisticados, que detectam pequenas anormalidades na frequência cardíaca, pressão arterial, temperatura, oxigenação, etc. Essa tecnologia permite que variações discretas evoluam para um quadro de emergência.

 Qualificação da equipe: é preciso que um profissional qualificado realize a aplicação e o monitoramento da anestesia no pet. Na maior parte das cirurgias, a equipe é composta de três veterinários, o cirurgião, o auxiliar e anestesista. Cada profissional é responsável por um aspecto do procedimento, para que tudo ocorra com tranquilidade e segurança.

Ao final da cirurgia, o anestesista acompanha a recuperação do paciente, até que ele esteja em condições de ser transferido do centro cirúrgico para a UTI ou internação. A qualidade da anestesia também se estende ao pós-operatório, proporcionando conforto ao animal através de protocolos analgésicos adequados e individualizados.

Riscos envolvidos: estudos em Medicina Veterinária mostram que a incidência atual de intercorrências anestésicas de 0,1%, ou seja, de cada 1000 animais anestesiados, um apresenta complicações. É fundamental que o hospital esteja preparado para socorrer o seu animal caso isso ocorra, com estrutura de UTI, internação e equipe de apoio.

 A anestesia assusta sim, é compreensível. Mas o medo pode ser minimizado com um melhor conhecimento do processo. Certifique-se de que há um anestesista qualificado e um centro cirúrgico equipado antes da cirurgia do seu animal. Não deixe de oferecer o melhor cuidado possível para o seu pet por medo de anestesiá-lo!

* Dra. Aline Vaccaro Tako e médica veterinária com especialização em Anestesiologia e atua no Hospital Veterinário Pet Care.

Serviço:

 

Hospital Veterinário Pet Care     

www.petcare.com.br

Unidade Ibirapuera: Av. República do Líbano, 270 – São Paulo

Unidade Pacaembu: Av. Pacaembu, 1839 – São Paulo

Unidade Morumbi: Av. Giovanni Gronchi, 3001 – São Paulo

Unidade Tatuapé: Rua Serra de Japi, 965 – São Paulo

Sem medo da anestesia: o que o tutor precisa saber antes de autorizar o procedimento em seu pet!



VEJA MAIS SOBRE Notícias


30% dos brasileiros sofrem com esgotamento profissional. Saiba mais!

30% dos brasileiros sofram com a chamada síndrome do esgotamento profissional, ou síndrome de burnout, segundo pesquisa da International Stress Management Association (Isma), realizada entre 2013 e 2014. “Pessoas com a síndrome de burnout podem apresentar esgotamento físico, alteração de humor, maior irritabilidade e dificuldade de concentração, além de sofrer com ansiedade, pessimismo, baixa autoestima […]

Leia mais

10 dicas para evitar o furto de bagagens em aeroportos!

Uma das grandes preocupações em viagens é ter malas extraviadas. Essa situação ocorre quando a bagagem é despachada no guichê do aeroporto, mas, na hora do recebimento, sofre algum atraso, roubo, dano ou perda. Em alguns casos, a mala é violada com todo cuidado e, posteriormente, é colocada intacta na esteira. O viajante, por vezes, […]

Leia mais

Especialista fala sobre o perigo do engasgo para as crianças!

O engasgo ocorre quando a traqueia é bloqueada por líquidos, alimentos ou qualquer tipo de objeto. A epiglote, uma espécie de porta da laringe, se movimenta de acordo com a necessidade e fica aberta para a passagem do ar até os pulmões, porém, quando engolimos algo a epiglote fecha para impedir a entrada de alimentos […]

Leia mais

3 dicas para guardar corretamente o perfume predileto!

Já parou para pensar se o lugar que você escolheu em casa para os seus perfumes é realmente um lugar ideal? A avaliadora olfativa da Natura, Luciana Parra, afirma que esse fator é muito importante para manter a integridade e a durabilidade da fragrância por mais tempo. Fato muito difícil de ser levado em conta, […]

Leia mais

9 maiores dúvidas das mamães sobre sexo pós-parto. Vem saber!

Para solucionar estas e outras dúvidas, o site UOL entrevistou Alberto Guimarães, ginecologista, obstetra e um dos criadores do programa Parto Sem Medo; Cecilia Pereira, ginecologista da All Clinik, do Rio de Janeiro (RJ); Cristina Carneiro, ginecologista e obstetra, de São Paulo (SP); Domingos Mantelli, ginecologista e obstetra, autor do livro “Gestação: mitos e verdades […]

Leia mais

FAÇA ESTE BLOG SER AINDA MELHOR, ESCREVA O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *