Bichos silvestres em áreas urbanas são cada vez mais frequentes!

1Uma família formada por 11 marrecos (9 deles eram filhotes) foi flagrada no início deste ano passeando por movimentadas avenidas de Cuiabá, no Mato Grosso. Na cidade de São Paulo, já há muitos anos, quem passa pelas Marginais Pinheiros e Tietê também já se acostumou a ver várias capivaras à margem dos dois rios que levam o mesmo nome das duas vias. São dois exemplos de espécies animais vivendo completamente fora do ambiente natural. Infelizmente, casos como esses estão se tornado cada vez mais comum nas grandes metrópoles do país.

“A principal causa da invasão de bichos silvestres em centros urbanos é a diminuição das florestas naturais. Em busca de alimentos, muitos acabam indo para além de seu habitat natural, chegam às áreas urbanas e acabam se perdendo, sem conseguir voltar. Outro problema frequente são as queimadas, que acabam afugentando muitos bichos das matas. Por instinto de sobrevivência, fogem para onde podem”, diz Luiz Eloy Pereira, presidente do CRBio-01 – Conselho Regional de Biologia de São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Mas há diversos casos também de intervenção direta do homem para essa invasão, como explica o biólogo. “Muitos bichos são tirados do seu habitat natural de maneira totalmente irresponsável. Seja para criação doméstica ou até mesmo para fins comerciais. No entanto, dependendo da espécie, não é raro perder seu controle de reprodução e, consequentemente, de ocupação. Depois de um tempo, muitos acabam sendo despejados em lugares completamente inadequados para sua segurança e sobrevivência”, afirma o presidente do CRBio-01.

Aliás, a presença desses bichos nos centros urbanos acaba gerando também medo entre a população local. Mas o biólogo explica que boa parte deles não oferece risco. “O bicho normalmente ataca o homem quando se sente ameaçado por ele. Para evitar, recomenda-se evitar o contato, manter uma certa distância”, instrui Pereira. O biólogo sugere que, ao perceber a presença de um animal silvestre, se acione o corpo de bombeiros da cidade para fazer o resgate. “Assim, garante tanto a integridade do bicho quanto à das pessoas”, completa.

Sobre possível transmissão de doenças, o presidente do CRBio-01 conta que também não é comum. “O bicho raramente é o transmissor. Porém, ele pode abrigar alguns parasitas e estes é que podem transmitir alguma doença”, conclui.

Em São Paulo, a Secretaria Municipal do Verde e de Meio Ambiente tem uma divisão para atender exclusivamente às diversas espécies de animais silvestres que vivem na cidade. Muitos dos animais encaminhados a essa divisão precisam de atendimento veterinário por terem sido vítimas de acidentes como atropelamento, choques elétricos, corte por linha de pipa, entre outros. Macacos, gambás, garças, corujas, lagartos e serpentes estão entre as espécies mais comuns.

 

Bichos silvestres em áreas urbanas são cada vez mais frequentes!



VEJA MAIS SOBRE Notícias


30% dos brasileiros sofrem com esgotamento profissional. Saiba mais!

30% dos brasileiros sofram com a chamada síndrome do esgotamento profissional, ou síndrome de burnout, segundo pesquisa da International Stress Management Association (Isma), realizada entre 2013 e 2014. “Pessoas com a síndrome de burnout podem apresentar esgotamento físico, alteração de humor, maior irritabilidade e dificuldade de concentração, além de sofrer com ansiedade, pessimismo, baixa autoestima […]

Leia mais

10 dicas para evitar o furto de bagagens em aeroportos!

Uma das grandes preocupações em viagens é ter malas extraviadas. Essa situação ocorre quando a bagagem é despachada no guichê do aeroporto, mas, na hora do recebimento, sofre algum atraso, roubo, dano ou perda. Em alguns casos, a mala é violada com todo cuidado e, posteriormente, é colocada intacta na esteira. O viajante, por vezes, […]

Leia mais

Especialista fala sobre o perigo do engasgo para as crianças!

O engasgo ocorre quando a traqueia é bloqueada por líquidos, alimentos ou qualquer tipo de objeto. A epiglote, uma espécie de porta da laringe, se movimenta de acordo com a necessidade e fica aberta para a passagem do ar até os pulmões, porém, quando engolimos algo a epiglote fecha para impedir a entrada de alimentos […]

Leia mais

3 dicas para guardar corretamente o perfume predileto!

Já parou para pensar se o lugar que você escolheu em casa para os seus perfumes é realmente um lugar ideal? A avaliadora olfativa da Natura, Luciana Parra, afirma que esse fator é muito importante para manter a integridade e a durabilidade da fragrância por mais tempo. Fato muito difícil de ser levado em conta, […]

Leia mais

9 maiores dúvidas das mamães sobre sexo pós-parto. Vem saber!

Para solucionar estas e outras dúvidas, o site UOL entrevistou Alberto Guimarães, ginecologista, obstetra e um dos criadores do programa Parto Sem Medo; Cecilia Pereira, ginecologista da All Clinik, do Rio de Janeiro (RJ); Cristina Carneiro, ginecologista e obstetra, de São Paulo (SP); Domingos Mantelli, ginecologista e obstetra, autor do livro “Gestação: mitos e verdades […]

Leia mais

FAÇA ESTE BLOG SER AINDA MELHOR, ESCREVA O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *